Como substituir os fusíveis do carro? Explicações e dicas

Como substituir os fusíveis do carro? Explicações e dicas

junho 1, 2022 0 Por RedeGoo

O fusível desempenha um papel central na proteção do circuito elétrico e de vários equipamentos em um carro. É por isso que, em caso de falha, é imperativo ser reativo e trocar o componente o mais rápido possível para evitar grandes danos a todo o sistema. Como identificar um fusível queimado? Quais são os métodos para substituí-lo? Respostas.

entre em contato com Doutor Baterias BH através do seu site: https://doutorbateriasbh.com.br.

Essas duas reações funcionam em loop, uma alimentando a outra e vice-versa, alimentando a bateria e permitindo que ela carregue o motor do carro.

O fusível: um papel central no carro

A intensidade expressa em Amperes e a tensão expressa em Volts garantem o bom funcionamento de um dispositivo eletrônico. Uma variação significativa desses valores necessariamente leva a uma falha. A situação mais temida é a sobrecorrente que causa incêndios ou, pior ainda, explosões. Quando um cabo é atingido com alta intensidade, a temperatura também aumenta. O fusível intervém neste nível. Ele queimará ou derreterá neste momento e evitará acidentes agindo como um disjuntor. A corrente não flui mais e o ramo defeituoso do circuito se separa do resto dos elementos do carro. Em tais circunstâncias, o fusível deve então ser modificado.

Fonte de reprodução: Adobe Stock

Localize o fusível com defeito

A primeira etapa do trabalho é identificar o fusível com falha. Para isso, é necessário primeiro encontrar a caixa de fusíveis. Basta consultar o manual de bordo do carro para localizar sua localização. Em princípio, ele fica escondido no compartimento de passageiros, certamente próximo à coluna de direção, sob o painel, na parte inferior do porta-luvas ou mesmo abaixo do volante. Alternativamente, ele pode estar localizado sob o capô perto da bateria, do anteparo ou em uma bochecha do para-lama. Esta caixa é coberta com uma tampa de fusível ou um material plástico. Ele já pode ter novos fusíveis sobressalentes prontos para uso. Se este não for o caso, é necessário comprar alguns. Atenção, o novo fusível deve ter as mesmas características do antigo em termos de tamanho, de forma e intensidade. Um modelo com uma amperagem mais alta não será capaz de detectar picos de energia, enquanto um modelo muito baixo pode queimar facilmente. O ideal é deixar sempre fusíveis sobressalentes no carro que serão úteis em caso de avaria.

Tenha cuidado, não é recomendado tentar reparar um fusível e reutilizá-lo. Isso pode causar sérios danos e causar um incêndio.

Substitua o fusível do veículo

O primeiro passo para trocar o fusível é desconectar o consumidor elétrico. Em seguida, abra a caixa e remova os terminais da mola, o fusível defeituoso. Para esta operação, é aconselhável usar um alicate de bico longo. Fixe o novo fusível entre os terminais da mola. Proceda com o aperto. Feche a tampa da caixa e prossiga para o teste.

Se o fusível recém-instalado começar a queimar muito rapidamente, é melhor realizar um diagnóstico com um especialista para detectar a verdadeira origem do problema: falha de isolamento, fios condutores defeituosos, problema de vedação, etc. Da mesma forma, se substituir o fusível parece muito complicado, recorrer aos serviços de um profissional é a medida mais segura.

Para que serve uma correia dentada em um carro?

Para que serve uma correia dentada em um carro?A correia dentada desempenha um papel fundamental no funcionamento de um motor, garantindo a sincronização dos vários elementos que o compõem. Portanto, é muito importante nunca negligenciar sua manutenção e verificar regularmente se não apresenta falhas. Em caso de sinais de desgaste, é imprescindível a troca da peça.

Correia dentada: papel e operação

Na mecânica, a distribuição reúne os mecanismos destinados à admissão e exaustão de gases no motor. Para que este funcione corretamente, devem ser realizadas diferentes fases apelidadas de “tempo”. Uma sincronização ótima dessas fases é imprescindível para que o processo seja bem coordenado. A distribuição não pode funcionar corretamente se não for composta por vários elementos, nomeadamente a cambota, a bomba de injeção, as árvores de cames e a bomba de água. A função da correia dentada é garantir a conexão entre esses diferentes elementos e garantir a sincronização dos movimentos dos pistões e das válvulas.

Você deve saber que em um motor, o mecanismo é bem lubrificado. Ao abrir, há apenas uma folga de alguns milímetros que impede que as válvulas toquem nos pistões. Quando os movimentos não combinam corretamente porque a correia dentada está com defeito, basta um pouco para que as válvulas e os pistões colidam violentamente entre si, causando grandes danos. O dano pode até atingir as árvores de cames. No final, o motorista será obrigado a realizar grandes reparos que se revelarão extremamente caros, especialmente se for o motor que for afetado.

Como reconhecer uma correia dentada?

A correia dentada tem a forma de borracha sintética, cuja parte interna é forrada com dentes que permitem o movimento síncrono da cambota e da árvore de cames. Para garantir a manutenção e a tensão na engrenagem, a correia dentada está equipada com um rolo de rolos e outro tensor. Cuidado para não confundir esta peça com a correia de acessórios que fica mais ao nível da bomba do ar condicionado e do alternador. Diferenciar os dois pode ser complicado, especialmente porque a correia de acessórios é colocada perto da correia dentada. Exceto que este último possui um dispositivo de proteção e entalhe diferente do outro. A propósito, as correias dentadas são mais comuns,

Qual é a diferença entre correia dentada e corrente dentada?

Confusões também podem surgir entre a corrente de distribuição e a correia dentada. Na verdade, esses dois componentes têm a mesma função de sincronização no motor. Exceto que a corrente de distribuição geralmente é usada em motores antigos da mesma forma que a cascata de rodas dentadas que também tem o mesmo papel da corrente e da correia. Em princípio, a longevidade é a mesma. Mas a desvantagem da corrente de distribuição é que ela tende a consumir energia, o que tem impactos prejudiciais na eficiência mecânica do motor. Além disso, a lubrificação regular é recomendada.

A correia dentada, por sua vez, é instalada em motores modernos e tem a vantagem de não necessitar de lubrificação. Também não emite ruído, o que garante conforto acústico. Por outro lado, sua manutenção não deve ser tomada de ânimo leve, pois a degradação desse componente é destrutiva para o motor.

Fonte de reprodução: Adobe Stock

Verifique a condição de uma correia dentada

Para saber se está tudo bem com a correia dentada, são necessárias algumas verificações. A primeira técnica consiste em realizar uma simples verificação visual. Após abrir o capô e localizar o cinto, examine sua condição. Se o elástico apresentar rachaduras ou sinais de desgaste na superfície, significa que ele não está mais em boas condições. Às vezes, a peça carece de material em determinadas peças ou também apresenta rachaduras. Caso a verificação visual não tenha dado nada conclusivo, será necessário realizar uma verificação de movimento. De fato, acontece que a deterioração da correia está no interior e não é visível no exterior.

Para atestar isso, ligue o motor e examine a peça. Os movimentos devem ser retos e o alinhamento com os esticadores/dobradiças deve ser perfeito. Caso contrário, alinhe a peça você mesmo. Se isso não funcionar, você provavelmente precisará alterá-lo. Outros sintomas também permitem determinar os sinais de desgaste: o carro que pára repentinamente ou muitas vezes para na estrada, ruídos bruscos durante a aceleração, vazamento de óleo do motor, falha de ignição, etc.

Fonte: https://autopapo.uol.com.br/noticia/trocar-o-pneu-facil